Galo: Cultura e Cidadania

Fotos: Anderson Maia

Responsabilidade social também é a marca do maior bloco do mundo. Há três anos e meio, o Galo da Madrugada mantém, dentro das atividades do projeto Galo:Cultura e Cidadania, uma escolinha de música que atende crianças e adolescentes de comunidades carentes do Recife e Região Metropolitana. Os cerca de 30 alunos, entre 10 e 16 anos, recebem, todas as terças e quintas-feiras, das 14h às 16h, aulas de sax, trombone, trompete, violão, teclado, bateria ou contrabaixo, a depender da escolha do pequeno músico. Isso, é claro, depois de passar pelas aulas teóricas, nas quais os estudantes mantêm o primeiro contato com o mundo da música, conhecendo conceitos como notas, divisões, e compassos. As aulas são realizadas no local onde funcionava a antiga sede do clube, na Rua da Concórdia.


Os alunos mais antigos já têm mostrado – e muito bonito, diga-se de passagem – que têm talento de sobra e que, quando se quer mesmo alcançar um objetivo, nenhum obstáculo atrapalha. “No início, é comum que haja dificuldade, pois, realmente, é um grande desafio trazer a criança para o mundo musical. No entanto, temos visto grande evolução deles, já tocam com tamanho profissionalismo que já encontram-se prontos para apresentações lá fora, como já fizemos em algumas ocasiões”, relata o maestro Lima Neto, coordenador da escolinha. A turma, que ganhou nome próprio e, hoje, é apresentada em todos os eventos como Orquestra Mirim do Galo da Madrugada, já tocou, animou e emocionou públicos diversos em eventos como Forrozão do Galo, Pinto da Madrugada, natal na Praça do Derby e, também, em diversas edições da Quinta no Galo.

“É um grande orgulho para nós, enquanto cidadãos que se preocupam com a formação dos nossos jovens, termos o privilégio de ajudar essas crianças e adolescentes no desenvolvimento de seus talentos. Vemos que eles passaram do status de meros alunos e, hoje, já podem ser considerados músicos. Nosso desejo é de que, nos próximos anos, eles se aprimorem ainda mais e que tenhamos, dentro em breve, mais uma orquestra para animar os eventos do Galo e outras festas”, almeja o presidente do Galo da Madrugada, Rômulo Meneses.

No extenso repertório que os pequenos músicos já tiram de letra estão clássicos do nosso frevo como Galo de Ouro, Três da Tarde, Último Dia, Duda no Frevo e Vassourinhas. Esta última é a preferida do estudante Pedro Arhur, de 11 anos. Natural e residente de Goiana, município da Zona da Mata de Pernambuco, o aluno de sax soprano afirma que optou por estudar o instrumento por achar bonito o seu som. Para o aprendizado, o pequeno músico não mede esforços: todas as terças e quintas, apanha um ônibus ao meio-dia, em sua cidade, e vem, junto com um parente responsável, rumo a mais uma tarde de aprendizado e diversão. Curto e direto nas respostas, Pedro não é nada modesto quando questionado o porquê de Vassourinhas ser sua canção favorita: “porque eu faço um solo nela”. Já quando a pergunta é sobre o esforço de atravessar o município duas vezes por semana, ele também não embroma – “vale demais a pena, porque eu gosto”. Já Ricardo Alexandre, 13, optou pelo sax alto. Também por um motivo justo. “Escolhi porque ele é que dá harmonia à música”, explicou o jovem, que sonha ser maestro.Orquestra Mirim já se apresentou em eventos como o Forrozão do Galo, Pinto da Madrugada e Quinta no Galo.

 

Fevereiro 2017
D 2a 3a 4a 5a 6a S
29 30 31 1 2 3 4
5 6 7 8 9 10 11
12 13 14 15 16 17 18
19 20 21 22 23 24 25
26 27 28 1 2 3 4


Camisa Oficial Galo da Madrugada 2017
Guerreiros do Frevo


 



Tulipa do Galo da Madrugada